A inspiradora jornada de The 40-Year-Old Version

Radha Blank dirige, roteiriza e atua em The 40-Year-Old Version

Em The 40-Year-Old Version, Radha (Radha Blank), uma dramaturga que já foi promissora, está se aproximando do estigma de ser solteira e uma artista lutadora aos 40 anos de idade. Enfrentando rejeições sem parar da comunidade teatral enquanto ensina a um grupo de adolescentes, ela se revigora criativamente quando volta ao rap, sua paixão há muito esquecida. Quando sua peça finalmente começa, no entanto, ela coloca a gravação de uma demo de rap em segundo plano e deve enfrentar a terrível tensão de comprometer sua voz para o sucesso na carreira.

The 40-Year-Old Version foi um dos melhores lançamentos da Netflix dos últimos tempos. É uma história que tem algo a dizer em cada momento. A diretora, roteirista e protagonista Radha Blank faz deste filme um manifesto para aqueles que acham que se redescobrir é algo que tem uma idade limite. Com uma narrativa muito bem-humorada e cheia de referências, Radha traz à tona um protagonismo autêntico de uma mulher negra que se aproxima dos 40 anos que, entre as peripécias e desaforos do dia a dia, reavalia os valores da sua vida pessoal e profissional. É muito prazeroso acompanhá-la nesta jornada que foge de estereótipos e abre espaço para que diversos assuntos sejam discutidos como arte, sonhos, sexo, família, amizades, entre outros.

O filme não se acomoda. É como assistir vários episódios de uma série. The 40-Year-Old Version tem algo muito raro em seus personagens que, além de torná-los marcantes e singulares, é saber brincar com eles sem ofender. O cuidado em retratar, por exemplo, uma juventude que ainda está em formação, mas sem rotular de superficiais é muito carinhoso, o que torna não só a produção especial, mas como Radha se importa com cada significado que esta história traz. Mas isso não é nada comparado ao que ela faz no restante do filme. A protagonista se transforma, com a ajuda de seus coadjuvantes, e vai se dando conta do quanto ainda tem a dizer, especialmente quando volta a cantar rap, atitude que a ajuda a encontrar não só a sua voz, como a sua verdade. E é aí que está a verdadeira potência do filme.

Além de uma fotografia, trilha sonora, arte, elenco e tudo mais de incrível, The 40-Year-Old Version é um daqueles filmes que a gente não quer que acabe por tamanha beleza e conteúdo que exibe. Com uma personagem forte e super inspiradora para todas as idades, The 40-Year-Old Version desperta a alma inquietante de quem ainda tem muito o que dizer por aí.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s