Festival de Gramado anuncia filmes para 48ª edição

Todos Os Mortos disputou Urso de Ouro em 2019

O Festival de Cinema de Gramado 2020 anunciou, nesta terça-feira, os filmes e os homenageados da 48ª edição do evento serrano. Entre os destaques estão os filmes Todos Os Mortos, de Caetano Gotardo e Marco Dutra, que disputou o Urso de Ouro do Festival de Berlim do ano passado, e os documentários sobre os cantores brasileiros Alcione (O Samba é primo do Jazz) e Sidney Magal (Me Chama Que eu Vou), são algumas produções que estarão na Mostra Competitiva de Longas Brasileiros.

O Festival este ano será realizado no formato multiplataforma, algo totalmente inédito, até então na história do evento, com transmissão ao vivo pelo Canal Brasil na TV, durante os dias 18 e 26 de setembro, e também pelo serviço de streaming, na GloboSat.

Sidney Magal relembra seus 50 anos de carreira em documentário

Os filmes terão as suas peculiaridades de exibição, conforme a categoria. Os longas-metragens brasileiros e estrangeiros terão uma única exibição pela TV. Os curtas-metragens brasileiros serão exibidos uma vez pela TV e ficarão disponíveis por 24 horas através do serviço de streaming. Os curtas-metragens gaúchos serão exibidos pelo streaming em quatro programas, com títulos agrupados conforme a classificação indicativa.

O programas serão disponibilizados às 14h do dia 19 de setembro e seguem no ar até as 23h59 do dia 22 de setembro. Já os longas-metragens gaúchos, cujos títulos ainda serão divulgados, terão exibição por streaming entre os dias 19 e 23 de setembro. A programação do Festival de Cinema no Canal Brasil inicia todas as noites, às 19h.

Debates e coletivas

Os tradicionais debates e coletivas dos filmes em disputa desta vez acontecem pela internet. As conversas serão transmitidas pelo site, pelo YouTube e pelo Facebook do Festival de Cinema de Gramado.

Homenagens

A 48ª edição homenageará a diretora Laís Bodanzky com Troféu Eduardo Abelin, o ator Marco Nanini receberá o Troféu Oscarito, o Troféu Cidade de Gramado será concedido à atriz Denise Fraga e Troféu Kikito de Cristal irá para o ator uruguaio César Troncoso.

Confira a lista dos indicados

Longas-metragens brasileiros:

Aos pedaços, de Ruy Guerra
King Kong em Asunción, de Camilo Cavalcante
Me chama que eu vou, de Joana Mariani
O Samba é primo do Jazz, de Angela Zoé
Por que você não chora?, de Cibele Amaral
Todos os mortos, de Caetano Gotardo & Marco Dutra
Um animal amarelo, de Felipe Bragança

Longas-metragens estrangeiros:

Dias de Inverno, de Jaiziel Hernández
El Gran Viaje al País Pequeño, de Mariana Viñoles
El Silencio del Cazador, de Martin Desalvo
La frontera, de David David
Los Fuertes, de Omar Zúñiga
Matar a un Muerto, de Hugo Giménez
Tu me manques, de Rodrigo Bellott

Curtas-metragens gaúchos: 

Teste de Elenco, de Marcos Kligman e Mariany Espindola
O que Pode um Corpo?, de Victor Di Marco e Márcio Picoli
Fragmentos ao Vento, de Ulisses Da Motta
Bochincho – O Filme, de Guilherme Suman
O Céu da Pandemia, de Marina Kerber
Lacrimosa, de Matheus Heinz
Deserto Estrangeiro, de Davi Pretto
Construção, de Leonardo da Rosa
Corpo Mudo, de Marcela Schild
Letícia Monte Bonito, de Julia Regis
Um Pedal, de Alexandre Derlam
Ver a Vista, de Daniel de Bem
Magnética, de Marco Arruda
Sopa Noir, de Beatrice Petry Fontana
Desencanto, de Richard Tavares
Pra Ficar Perto, de Lucas dos Reis
O Luto Impossível, de Bruno Carboni
Quando te Avisto, de Denise Copetti e Neli Mombelli
Dois Homens ao Mar, de Gabriel Motta

Curtas-metragens brasileiros

Dominique, de Tatiana Issa e Guto Barra
Remoinho, de Tiago A. Neves
Extratos, de Sinai Sganzerla
O Barco e o Rio, de Bernardo Ale Abinader
Trincheira, de Paulo Silver
Atordoado, Eu Permaneço Atento, de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos
Subsolo, de Erica Maradona e Otto Guerra
4 Bilhões de Infinitos, de Marco Antonio Pereira
Blackout, de Rossandra Leone
Joãosinho da Goméa – O Rei do Candomblé, de Janaina Oliveira ReFem e Rodrigo Dutra
Wander Vi, de Augusto Borges e Nathalya Brum
Receita de Caranguejo, de Issis Valenzuela
Você tem olhos tristes, de Diogo Leite
Inabitável, de Matheus Farias e Enock Carvalho

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s